Bons Motivos Para Implantação da Ergonomia

BENEFÍCIO AUXÍLIO DOENÇA - DOENÇAS MOTIVADAS POR FATORES DE RISCOS ERGONÔMICOS E MENTAIS SUPERAM OS TRAUMÁTICOS DE ACORDO COM DADOS DO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCISA SOCIAL.


DADOS OBSERVADOS ENTRE 2000 E 2011 NO BRASIL, CHAMAM A ATENÇÃO DO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

A evolução da motivação mórbida dos afastamentos que se desloca do infecto-traumáticos para os crônicos; A tabela abaixo apresenta as 20 principais doenças (Classificação Internacional de Doenças - CID) com maiores ocorrências para o benefício Auxílio Doença;

As 20 CIDs (doenças) representam 50,17% de todos os afastamentos relativos aos segurados empregados de empresas com CNPJ e CEI observados entre 2000 e 2011 – Brasil;

Nesse duodecênio as doenças do grupo M e F (riscos ergonômicos e mentais) da CID, juntas alcançaram peso de 20,76% de todos os afastamentos, superando aquelas do grupo S-T (traumáticos) com 19,43% do total. Juntas elas respondem por 40,25% de todo o universo previdenciário;

Norma Regulamentadora 17 (NR17)- Ergonomia Obrigatória por qualquer empresa ou instituição que tem empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, incluindo empresas privadas e públicas, órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário. Esta norma estabelece parâmetros que permitem a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, e diz que para avaliar essas adaptações cabe ao empregador realizar a Análise Ergonômica do Trabalho (AET).


Análise Ergonômica do Trabalho (AET) Estudo desenvolvido por profissional capacitado em ergonomia para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores. Ou seja, um documento que reúne análise de condições de trabalho como levantamento e transporte de carga, mobiliário, equipamentos, organização do trabalho e condições ambientais como níveis de ruído, iluminância, temperatura, umidade e velocidade do ar. Este estudo busca oferecer dados suficientes para implantação de melhorias no ambiente e postos de trabalho, levando em consideração a saúde, bem estar e segurança de seus colaboradores, contribuindo também na melhora do desempenho.

eSocial

É um instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade padronizar sua transmissão, validação, armazenamento e distribuição, constituindo um ambiente nacional.

Não basta somente que identifiquemos os riscos presentes no ambiente de trabalho, através da AET é preciso que desenvolva trabalhos em ergonomia e aplique conceitos de gestão em suas análises de risco: identificando, eliminando (ou controlando), priorizando, avaliando e validando seus trabalhos, caracterizando as atividades de trabalho, estabelecendo prioridades para as ações de controle e principalmente acompanhamento do trabalho.


Nexo Técnico Epidemiológico - NTEP A AET é uma importante ferramenta no caso do Nexo Técnico Epidemiológico, pois com a inversão do ônus da prova, ou seja, com as empresas tendo que provar que não são causadoras de doenças ocupacionais, uma AET em mãos facilitaria e agilizaria o processo. Com o NTEP passa a ser considerada como doença ocupacional toda patologia com incidência “estatisticamente” maior do que a esperada, através do cruzamento da CID (Classificação Internacional de Doenças) com o CNAE (Código Nacional de Atividade Econômica). Como exemplo, podemos citar que toda Tendinite (CID M65) em bancários (CNAE 65.21-8) será considerada como doença ocupacional, até prova em contrário.


Redução de imposto Outra característica do NTEP é a condições de analisar individualmente cada empresa e seu desempenho na questão da preservação da saúde de seus funcionários e assim cobrar diferenciadamente a alíquota do SAT. Empresas que investem em segurança e medicina do trabalho e obtêm bons resultados poderão pagar 50% a menos do que vem pagando de SAT e aquelas que não conseguem tal êxito terão que pagar até 100% a mais do que vêm pagando.


Contribuição no controle de Absenteísmo Diversos autores enfatizam que a etiologia do absenteísmo é determinada principalmente por condições de trabalho. Algumas razões que provocam essa situação são justamente condições desagradáveis de trabalho, empobrecimento e repetitividade de tarefas, organização e supervisão deficiente, falta de estímulo e motivação, entre outras (COUTO, 1987; ANSELMI, 1990; CHIAVENATO, 2002; FONTES, 2002).


Diminuição dos riscos de Doenças Ocupacionais As condições de trabalho inadequadas afetam a saúde do trabalhador, e sabendo que o desconforto é o precursor das doenças ocupacionais e de várias outras condições prejudiciais e que prevenir tem a ver com a eliminação das causas dos problemas, a Ergonomia pode colaborar para prevenção desses casos.

Relação Custo-Benefício É comum ocorrer perdas nos processos produtivos. Perdas como falhas na gestão de saúde, do meio ambiente e da segurança ocupacional são evidentes, diferentemente das perdas patrimoniais, de eficiência e de produtividade, que nem sempre são claras. Neste sentido, a Ergonomia torna as falhas e suas respectivas perdas evidentes e mostra caminhos para solução. Cabe aqui citar um comparativo importante: para cada dólar investido em prevenção obtém-se 4 dólares de retorno em produtividade (Revista Exame, 1995).


Saúde, Conforto e Segurança dos colaboradores A NR17 salienta que visa proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente, e portanto é isso o que a AET busca.


Processos de Certificação Para obter algumas certificações tais OHSAS 18001; BS8800; NBR18800, ABNT, existem exigências de alguns requisitos de Ergonomia.


Posts em Destaque
Postagens Recentes
Arquivo
Pesquisar por tags
Nenhum tag.
Siga-nos
  • linkedin-logo
  • Pinterest Social Icon
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square